Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Comunicação

Licenciatura em Português da UFERSA Caraúbas entre os melhores do Brasil

Ensino, Gestão, Sem categoria 2 de junho de 2022. Visualizações: 445. Última modificação: 02/06/2022 11:46:18

A dimensão infraestrutura física é um dos itens da avaliação do MEC/Foto: Eduardo Mendonça

O Curso de Licenciatura em Português do Campus Caraúbas da Universidade Federal Rural do Semi-Árido recebeu Conceito 5 do Ministério da Educação – MEC. A avaliação foi feita por uma comissão de avaliação externa – BASis – que é formada por especialistas da educação superior para reconhecimento do curso. A avaliação aconteceu nos dias 25, 26 e 27 de maio, com reuniões e visitas virtuais as instalações utilizadas pelo curso, incluindo, a Biblioteca do Campus Caraúbas.

O Conceito 5 que é a nota máxima possibilitou também o reconhecimento da Licenciatura em Português pelo Ministério da Educação. “Alcançar a nota máxima na avaliação do MEC para o Campus Caraúbas significa a vitória de toda a UFERSA, do Campus e do Semiárido Potiguar. Resultado de trabalhos com muitas mãos e a certeza de que estamos no caminho certo no fortalecimento das licenciaturas na nossa instituição”, considerou a diretora, professora Simone Rocha. O conceito máximo dado ao curso de Português da UFERSA Caraúbas o coloca entre os melhores do país.

“Um curso com conceito 5 é visto como de excelência, portanto, uma referência para os demais, para subsidiar o processo de regulação dos cursos de graduação no país”, complementou a pró-reitora de graduação da UFERSA, professora Kátia Cilene.

A professora explicou que a ponderação é feita a partir de instrumentos de avaliação do INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas – sendo estabelecidos nas dimensões: organização didático-pedagógica, corpo docente e, a dimensão infraestrutura física, onde são avaliados o Projeto Político-Pedagógico, a sua aplicabilidade e, também as políticas institucionais de apoio aos estudantes. “Trata-se de uma avaliação minuciosa de documentos, visita as instalações e também de entrevistas com a comunidade acadêmica. Trata-se de verificar in loco se o que está no papel é verdadeiro”, resumiu a pró-reitora de graduação.