Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Comunicação

Reitora trabalha para recuperar 36 vagas que foram extintas na transição Esam/Ufersa

Gestão 1 de outubro de 2021. Visualizações: 372. Última modificação: 01/10/2021 22:37:54

Na reunião no Ministério da Educação a reitora da Ufersa tratou sobre o dimensionamento de servidores na instituição/Foto: Cedida

O tema gestão de pessoas encerrou a maratona de reunião da reitora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, professora Ludimilla Oliveira, que passou a semana em Brasília, tratando de assuntos administrativos no Ministério da Educação e Controladoria Geral da União. Na parte da manhã, a professora tratou sobre o dimensionamento de servidores na instituição. Ela argumenta que a Universidade perdeu códigos de vagas na transformação da Esam para Ufersa. “Muitos cargos foram extintos sem que houvesse uma substituição dos mesmos”, apresentou.

“Estamos trabalhando para uma recuperação dessas vagas, totalizando 36, que foram extintos, fora outros que ainda estão para ser abolidos”, adiantou. A reitora disse ainda que a gestão também trabalha para a recomposição do quadro de docentes do Campus Angicos. “Necessitamos de novos códigos de vagas urgentes”, pontuou. Além de vagas para técnico-administrativos que estão defasadas nos quatro campi da Ufersa.

A reunião do Mec também tratou sobre as orientações para o retorno gradual e seguro dos técnico-administrativos e também sobre a instrução normativa sobre o tele trabalho na instituição. A reunião contou com a presença da coordenadora geral de gestão, governança e empreendedorismo, Elisabeth Aparecida Correia Meneses e, Stephanie Silva, diretora de desenvolvimento da rede Ifes Sesu, ambas do Mec.

Ufersa é recebida pelos auditores José Paulo Barbiere e Cristiano Souza, da CGU/Foto: Cedida

CGU – Na Controladoria Geral da União a reitora Ludimilla Oliveira e a pró-reitora de Gestão de Pessoas da Ufersa, Raiane Mousinho, foram recebidas pelos auditores José Paulo Barbiere e Cristiano Souza, para tratar de assuntos relacionados à capacitação profissional com foco nas orientações estabelecidas pelos órgãos de controle do Governo Federal. A ideia da reitora é delimitar temas importantes para a consolidação da instituição. “Queremos evitar que os nossos servidores possam vir de encontro às normativas estabelecidas pelos órgãos de controle”, explicou.

Outro ponto discutido foi a participação de representantes do Mec e CGU na Semana do Servidor, prevista para acontecer no final de outubro. “A governança é cotidiana, as implicações das responsabilidades e o trabalhar com qualidade de vida e com segurança, evitando os riscos que dizem respeito à integridade dos servidores que perpassam pelos órgãos de controle”, justificou.

%d blogueiros gostam disto: