Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Comunicação

Estrangeiros da pós-graduação na Ufersa buscam alternativas para permanência na Universidade

Estudante, Gestão, Pós-graduação 15 de setembro de 2020. Visualizações: 498. Última modificação: 15/09/2020 15:32:23

Encontro foi para viabilizar ações voltadas para a permanência dos estudantes nos cursos de Mestrado e Doutorado/Foto: Assecom/Ufersa

Estudantes estrangeiros de cursos de Mestrado e Doutorado da Universidade Federal Rural do Semi-Árido se reuniram nesta terça-feira, 15, com a reitora Ludimilla de Oliveira. O encontro, intermediado pelas Pró-Reitorias de Pesquisa e Pós-Graduação e, de Assuntos Estudantis, foi para viabilizar ações voltadas para a permanência dos estudantes nos cursos uma vez que o Plano Nacional de Assistência Estudantil, o Penaes, não contempla discentes da pós-graduação.

Ao todo, são seis estudantes nessa situação com residência na Vila Acadêmica. “Vamos dar essa assistência via custeio” adiantou a reitora Ludimilla Oliveira. Uma das estrangeiras, a colombiana. Deisy Alpala, doutoranda em Fitotecnia, por ter filho com 18 meses não pôde fixar moradia na residência universitária. “Estou aqui sozinha e tudo se torna muito difícil” afirmou a estudante que mora num imóvel alugado próximo a universidade.

Reitora Ludimilla Oliveira recomendou atenção especial para os estudantes estrangeiros/Foto: Assecom/Ufersa

Na ocasião, Ludimilla recomendou atenção especial para os estudantes, inclusive, com assistência a saúde a ser feita mediante convênio entre a universidade e a secretaria de saúde do município. Outra conquista foi à aquisição de mobília básica – cadeira, mesa, armários e geladeira – para a residência dos estrangeiros.  A reitora afirmou ainda que institucionalmente a Ufersa vai entrar em contato com as embaixadas dos países de origem dos estudantes. “As embaixadas possuem uma secretaria para tratar exclusivamente de assuntos educacionais” pontuou. Os estudantes são de origem da Colômbia, Haiti, Honduras, Venezuela e Equador.

“A nossa comissão ficou muito grata pelo acolhimento uma vez que sentíamos esquecidos e que agora tem alguém olhando para nós” considerou Ana Garcia Varela, aluna do Mestrado em Ciência Animal. “Vamos trabalhar em conjunto com a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e a Assessoria de Relações Internacionais com uma assistência mais integral possível para os estudantes estrangeiros se sintam acolhidos” afirmou a pró-reitora, Janaína Holanda de Assuntos Estudantis.

Para a reitora Ludimilla Oliveira a pauta apresentada pelos estudantes imigrantes é urgente. “Damos encaminhamentos para a resolução das demandas uma vez que desde o início da pandemia eles estão nas residências que necessitam de melhorias urgentes e também assumimos o compromisso que eles venham ter esse diálogo dentro da instituição” pontuou. A reitora garantiu ainda que a Universidade fará contato com as Embaixadas dos referidos países para que dentro das suas nacionalidades a Ufersa possa acolher melhor cada um. “Os estudantes estrangeiros na Ufersa terão uma prioridade diferenciada na nossa gestão” concluiu.

A comissão estava composta pelas discentes: Maria Carolina Ramiez Hemandez, da Columbia, do Mestrado em Ambiente Tecnologia e Sociedade; Deisy Rosero Alpala, também da Colômbia, do Doutorado em Fitotecnia; Ana Garcia Varela, de Honduras, do Mestrado em Ciência Animal e, pelo discente Johnny Jean, do Haiti, do Mestrado em Fitotecnia.

Cerimonialista da Ufersa, Maria do Carmo Galdino, entrega máscaras para prevenção do Coronavírus aos estudantes imigrantes/Foto: Assecom Ufersa