Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Comunicação

Professora da Ufersa tomará assento na Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró

Responsabilidade Social 14 de julho de 2016. Visualizações: 3724. Última modificação: 14/07/2016 10:18:14
dccda2_8dc1c39dea52472dbe0c87f02754021d

A professora Ludimilla Oliveira, da Ufersa, tomara assento na Cadeira 37, da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró/Foto: Passos Jr

A professora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Ludimilla de Carvalho Serafim de Oliveira, tomará assento na Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS. Será durante Sexta Sessão Magna da ACJUS a ser realizada no próximo dia 29 de julho, a partir das 19h30min, no Auditório da Subsecional da OAB. A Sessão Magna tem como principal objetivo o ingresso de novos intelectuais na Academia.

A professora ocupara a Cadeira 37, quem tem como Patrono Jerônimo Vingt-Un Rosado Maia. “É uma honra ter  a oportunidade não só de ser imortal na Academia, mas de ter como Patrono o fundador da ESAM/Ufersa”, considerou Ludimilla Oliveira. Além da professora da Ufersa serão empossadas as personalidades: Maria Auxiliadora Tenório Pinto de Azevedo (cadeira 35 – Patronesse: Maria Gomes de Oliveira), Jane Weyne Ferreira de Menezes (Cadeira 36 – Patrono: Ivo Lopes de Oliveira), Vanda Maria Jacinto (Cadeira 38 – Patronesse: Amélia Dantas de Souza melo Galvão), Francisco Canindé Maia (Cadeira 39 – Patrono: Jerônimo Dix-Sept Rosado Maia) e Sérgio Fernandes Coelho (Cadeira 40 – Patrono: Abel Freire Coelho).

No ato da posse dos novos acadêmicos a oração acadêmica de saudação aos empossados ficará ao cargo do eminente acadêmico, padre Sátiro Cavalcanti Dantas (titular da cadeira 28). Já em nome dos empossados falará a acadêmica Ludimilla de Oliveira.

Com um ritual baseado na Academia Francesa de Letras, a ACJUS de Mossoró também inclui em suas sessões a apresentação do SEXTETO, entoando músicas clássicas e populares, bem como a apresentação de valores artísticos da cidade e da região.

“A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais é uma instituição cultural e cientifica que prima primordialmente pelos valores éticos, sociais e culturais objetivando construir fundamentalmente um novo pensamento que seja capaz de transformar a vida das pessoas para melhor em toda sua plenitude”, afirmou a professora Ludimilla Oliveira.

TRAJETÓRIA – Aos 40 anos de idade, a professora Ludimilla Oliveira traz mais de 20 anos de experiência profissional, tendo iniciado aos 17 anos, como professora de escolas particulares. Técnica em Contabilidade; Graduada em Serviço Social; Especialista em Direito Ambiental; Mestre em  Desenvolvimento  e Meio ambiente e, Doutora em  Arquitetura  e  Urbanismo.  Além de já ter exercido a função de Ouvidora e Coordenadora de Pesquisa  e  Extensão  na FACENE; Pró-Reitora de Extensão  e Cultura, Chefe de  Departamento de Agrotecnologia e Ciências Sociais, e Membro do Conselho  Universitário da Ufersa.  A professora também tem publicados diversos artigos em jornais e revistas acadêmicas, além de dois livros, estando o terceiro em processo de conclusão.

Welligton pte ASJUS

Wellington Barreto, Pte da ACJUS, explica procedimentos para ingresso na Academia/Foto: Cedida

ACJUS – A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS , surgiu para preencher uma lacuna existente em Mossoró sobre o debate das ciências jurídicas e sociais. A iniciativa partiu de um grupo de intelectuais de diversos campos, como: Advogados, juízes, historiadores, filósofos, sociólogos, geógrafos, teólogos, jornalistas, assistentes sociais, historiadores, pesquisadores, escritores, entre outros, que se engajaram na ideia. “Depois de amplas discussões fundamos a Academia no dia 05 de novembro, data em que se comemora o aniversário de Rio Barbosa”, ressalta o presidente da ACJUS, José Wellington Barreto.

A Academia é composta por é composta de 50 confrades e confreiras, sendo que 32 são sócio-fundadores e 08 indicados pelos fundadores. Os 10 restantes serão eleitos diretamente após Edital ainda a ser publicado. A escolha dos primeiros 40 acadêmicos teve como critérios a conduta ilibada e a atuação na literatura jurídica ou social, com atuação no campo das ciências jurídicas ou sociais. Outra premissa ter publicado algum trabalho (livro) nesse sentido.

O ingresso de novos membros da ACJUS é feita mediante indicação e eleição, após uma votação. No caso da professora Ludimilla Oliveira foi indicada por uma comissão, tendo o nome dela aprovado pelos demais componentes da instituição. “Nós temos no decorrer do processo de fundação e de instalação, bem como em nossas Sessões Magnas Ordinárias ou Extraordinárias, a parceria da Ufersa na pessoa do Magnifico Reitor, professor José de Arimatea Matos. Também estamos conversando com a Reitoria sobre a possibilidade de firmamos uma parceria institucional da Academia com a Universidade”, adiantou o presidente da ACJUS.

No que se refere a indicação da professora Ludimilla Oliveira, o presidente da ACJUS, José Wellington Barreto, afirma que a atuação da professora se encaixa nos requisitos exigidos pela Academia. Tudo é levado em consideração. Comportamento social, experiência, produtividade e a representatividade social. “A confreira Ludimilla faz parte de uma instituição acadêmica altamente importante, tem trabalhos científicos publicados, é muito benquista na sociedade, além do prestigio local, estadual e nacional o que eleva a credibilidade da ACJUS”, argumentou, acrescentando que a professora “tem muito a contribuir, como os demais indicados para o engrandecimento da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais”, concluiu o presidente Wellington.

%d blogueiros gostam disto: