Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Comunicação

Campanha da Voz promove workshop sobre comunicação institucional

Sem categoria 19 de abril de 2016. Visualizações: 609. Última modificação: 20/04/2016 20:54:48
_DSC7301

Workshop marca Dia Mundial da Voz reunindo estudantes e servidores numa mesa redonda sobre comunicação institucional/Foto: Eduardo Mendonça

Para marcar o Dia Mundial da Voz, comemora no dia 16 de abril, a Universidade Federal Rural do Semi-Árido, em parceria com a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, promove a sétima edição da Campanha Nacional da Voz. Na Ufersa a data foi comemorada nesta terça-feira, 19, com a realização do Workshop Comunicação Institucional: saberes e linguagens, reunindo numa mesa redonda o professor, Emanuel Freitas; o fonoaudiólogo, Varder Braga; o jornalista, Higo Lima e, a secretária executiva, Franceliza Monteiro. O Workshop foi pensado com a proposta de debater as dificuldades comunicativas no âmbito institucional. Para isso, os palestrantes trouxeram para um público formado por estudantes e servidores da Universidade reflexões sobre as diversas formas de linguagens.

_DSC7316

Varder Braga aborda cuidados com a voz/Foto:Eduardo Mendonça

Antes, o fonoaudiólogo Varder Braga enalteceu a importância da Campanha da Voz realizada na Ufersa desde 2010, falando da sua importância como instrumento de trabalho. “Nenhuma voz é igual, a exemplo da digital, ela é a identidade da pessoa”, afirmou para explicar a voz como elemento mais importante no processo de comunicação. Para isso, ele trouxe para a plateia os conceitos fundamentais da linguagem que inclui a voz (som), a fala (palavras com som articulados) e a linguagem (compreensão e expressão).

O ponto alto da palestra aconteceu com os cuidados que toda a pessoa deve ter com a voz. Dados apontam que 2% dos professores se afastam de suas atividades profissionais por problema na voz. Entre os fumantes e consumidores de bebidas alcoólicas o problema se agrava. O fonoaudiólogo trouxe também algumas dicas para o cuidado com a voz. Falar por muito tempo, falar alto, gritar, tossi ou pigarrear são situações que devem ser evitadas.

Varder orienta as pessoas ficarem atentas a alguns sintomas que indicam alterações nas cordas vocais como: rouquidão, falhas ou perda da voz e ainda dor, ardência na região da laringe. “A persistência de um ou mais sintomas por mais de 15 dias não é normal e a pessoa deve procurar ajuda médica e de um fonoaudiólogo”, aconselhou.

_DSC7324

Higo Lima aborda redes sociais na internet/Foto: Eduardo Mendonça

COMUNICAÇÃO – Sendo a voz o principal instrumento para comunicação coube ao jornalista Higo Lima, da Assessoria de Comunicação da Ufersa, algumas reflexões sobre o ato de compartilhar mensagens. O jornalista direcionou a participação dele para a comunicação institucional, afunilando a participação dele para as redes sociais na internet.  Antes, Higo ressaltou as propriedades institucionais da Ufersa que estão sintonizadas com os princípios da administração pública que são a legalidade, imparcialidade, moralidade, eficiência e publicidade.

Para o jornalista, as redes sociais na internet funcionam como uma teia infinita e em constante crescimento. “São pessoas falando para muitas pessoas”, resumiu, enfocando que a lei da afinidade é o que predomina nas redes sociais. A partir dessa reflexão, Higo Lima questionou o que seria privado e público nessa rede que é formada por fragmentos de muitas teias. “Um domínio privado (senha e conta) num espaço público onde muitos têm o acesso”, exemplificou, alertando a plateia para os cuidados que devemos ter ao gerar uma publicação, principalmente, no que se refere ao ambiente de trabalho.

 “A conta pessoal não reflete o posicionamento da instituição”, pontuou, aconselhando aos servidores “refletirem enquanto há tempo para se arrepender, pois depois da postagem não há como voltar atrás”, aconselhou o jornalista. Ao finalizar, Higo Lima considerou a interação, a promoção do debate e a disseminação do saber como as principais funções das redes sociais no ambiente acadêmico.

_DSC7331

Franceliza Monteiro fala sobre práticas discursivas/Foto: Eduardo Mendonça

Encerrando a mesa redonda, a secretária executiva e doutoranda em estudos da linguagem, Franceliza Monteiro, abordou as práticas discursivas na esfera universitária, apontando o discurso como principal gênero textual da academia. “Diferente do texto, o discurso leva em consideração o contexto social”, frisou. Para professora, a academia utiliza o e-mail, o resumo e slide como principais gêneros textuais. Franceliza exemplificou de forma didática como utilizar cada gênero com dicas e orientações para a comunicação correta no âmbito institucional.

No final, os participantes do Workshop foram presenteados com a Carteira da Voz, documento de identificação como participante da Campanha Nacional da Voz. No verso do documento dicas importantes para manter hábitos vocais saudáveis: Fale sem esforço e articule bem as palavras; Mantenha uma boa postura corporal ao falar ou cantar; Beba pequenos goles de água durante o tempo que estiver falando; Durma bem; Evite pigarrear; Evitar gritar; Evitar conversar em ambientes ruidosos; Tenha uma alimentação saudável rica em frutas e proteínas; Evite ingerir leite e derivados, bebidas gasosas, alcoólicas e chocolate antes de utilizar a voz continuamente.