Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Comunicação

Agora sim, acadêmicos de medicina

Evento 6 de julho de 2018. Visualizações: 1793. Última modificação: 09/07/2018 08:18:22

Passado as fases da aprovação, da matrícula e das inúmeras expectativas com o início das aulas, a conquista da vaga no curso de medicina da Universidade Federal Rural do Semi-Árido finalmente se concretiza. Nesta sexta-feira, 06, foi realizada a “Cerimônia do Jaleco” para os 40 alunos que compõem a terceira turma de Medicina da Ufersa Mossoró. A solenidade, que é tradição nas turmas, representa um rito de passagem para os novos acadêmicos. A iniciativa parte dos estudantes veteranos do curso.

Vinícius Noronha

“É a oficialização de um sonho uma vez que o jaleco é uma vestimenta muito importante para o profissional médico, então, é uma mistura de orgulho, honra e ao mesmo tempo tem um peso de responsabilidade enorme”, resumiu Vinicius de Noronha Barbosa, 19 anos.  O jovem acadêmico que é de Apodi, no RN, se diz satisfeito com a escolha que fez ao optar pelo curso de Medicina da Ufersa. “Uma surpresa positiva, pois o método utilizado, o PBL, que tem como foco o aprendizado baseado no problema, o que estimula o aluno para outras habilidades, além do contato pessoal com o paciente”, avaliou.

A coordenadora do curso, a professora Tammy Rodrigues, explicou que o PBL é um método de aprendizagem mais ativo, com o aluno sendo o centro do estudo. São formados grupos de trabalhos e, a partir da discussão de um determinado problema, se busca as possíveis soluções. “O método PBL o aluno é o centro, não mais o professor”, afirmou. A proposta é formar médicos generalistas com conhecimento técnico voltado para o atendimento integral, além de embasamento teórico para o ingresso nas residências médicas e especializações.

Maria Clara Braz

Apesar da grande expectativa em torno da metodologia, a estudante Maria Clara Braz de Almeida, que é de Campina Grande, mas que mora em Mossoró há mais de dez anos se mostra satisfeita com a metodologia do curso. “Tudo é muito integrado, planejado, com os professores muito engajados, além da estrutura da Universidade que é muito boa”, afirmou.

A terceira turma de medicina é formada na sua maioria por norte-rio-grandenses, dos 40 acadêmicos, 18 são do Rio Grande do Norte, sendo 10 de Mossoró. Em segundo lugar aparece o Ceará com 09 estudantes, os demais são de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Belo Horizonte. Pedro César da Silva, de 20 anos, é de Fortaleza, e abandou o curso de engenharia na Universidade Federal do Ceará, para cursar medicina em Natal. A justificativa dele é simples: veio em busca da realização do sonho de ser médico. “O desafio é constante, muita luta para conquistar a vaga e a cada dia temos que superar novas barreiras”, opinou. O estudante elogiou a estrutura do curso e a dedicação dos professores.

Fernando André

Fernando André de Oliveira Santana foi outro que deixou a sua cidade de origem, Recife, para estudar medicina na Ufersa. “Desde criança sonhava estudar medicina e, com o passar dos anos fui tendo mais segurança para com a minha escolha. Poder ajudar as pessoas foi a grande motivação”, resumiu. Apesar do pouco tempo na cidade, ele se diz satisfeito. “Fui muito bem acolhidos pelos colegas e professores”, justificou.

SOLENIDADE – O reitor da Ufersa, professor José de Arimatea Matos prestigiou a Cerimônia do Jaleco enaltecendo a importância dessa tradição para receber os novos estudantes de medicina. Para o reitor, a exemplo de Direito, o curso de Medicina da Ufersa tem potencial para se destacar no cenário acadêmico. “Por duas vezes o curso de Direito foi considerado o melhor do Brasil e, na próxima semana, a Ufersa será premiada na SBPC, com o mérito institucional como a universidade que mais aprovou proporcionalmente alunos na pós-graduação”, afirmou. O reitor acredita que com medicina não será diferente. “Estamos trabalhando para consolidação da estrutura do curso, bem como a qualificação dos professores com o doutoramento”, adiantou. Iniciativas que vão elevar ainda mais o curso de Medicina da Ufersa.

Profa. Tammy Rodrigues

A coordenadora do curso, professora Tammy Rodrigues, aproveitou a presença dos pais e demais familiares dos estudantes para tranquiliza-los com relação a formação dos futuros médicos. “Estamos trabalhando com muito carinho, e dedicação para formar profissionais humildes, humanos e capacitados para saber lidar com todos os desafios possíveis, seja, na atenção básica, na urgência ou nas provas de residências nas diversas áreas médicas”, ressaltou Tammy. No final, a professora deixou um recado para os acadêmicos: “Todos têm potencial para ser o que quiserem… Vocês vão conseguir chegar aonde quiserem”. A solenidade foi encerrada com o juramento dos estudantes.

Pedro César, acadêmico
Reitor da Ufersa, José de Arimatea